LOGO ID BRASIL FUNDO TRANSPARENTE

Um Pouco da Cultura ID Brasil

Para contextualizar, descrevemos a cultura aqui como um conjunto de comportamentos e práticas que são vivenciados no dia-a-dia e que são frutos de crenças compartilhadas pelos indivíduos / equipe.

Alguns aspectos de nossa cultura organizacional são muito fortes, e são facilmente percebidos por quem vivencia a ID Brasil. Todavia, como buscamos o desenvolvimento e a evolução constante, nossa cultura também é viva e evolui constantemente a partir dos objetivos futuros, aprendizados e interações com a que somos expostos diariamente.

Desse processo da aprendizagem surgem as distinções, que são formas de se relacionar com a realidade, independentemente de como ela se apresenta. Abaixo, relacionamos algumas distinções e como elas podem ser percebidas do dia-a-dia de nossa cultura.

Algumas Distinções

É o que é

Por vezes as pessoas se pegam brigando com a realidade, questionando por que as coisas são como são. Esse comportamento gera um grande desgaste que consome as energias e cria um espaço de vitimização que não muda a realidade. A distinção “É o que É”, põe você de cara com a realidade, e te deixa livre para agir independentemente das suas expectativas.

Não baixar a régua

Nos relacionamos com as pessoas num contexto de que elas são capazes. E se elas acreditam nisso ou não - não faz diferença. Não baixar a régua, é dar a oportunidade para as pessoas descobrirem poder e capacidade onde muitas vezes elas mesmas não acreditam que existe.

Responsabilidade = estar no centro.

É muito comum que a responsabilidade seja confundida com "culpa", mas essas duas coisas são como água e óleo - não se misturam. Encaramos responsabilidade como o ato de se colocar no centro de algo, de poder fazer algo a respeito, de causar o que precisa ser causado. Ser responsável é assumir o poder de fazer acontecer.

Tentar não funciona

Já reparou quantas vezes utiliza tentar no seu dia. Agora, considere que tentar é algo que não existe. Ou você faz algo, ou não faz. Não tem como você tentar levantar o braço. Ou você levanta ou não levanta. Tentar funciona como uma desculpa antecipada por um resultado que você sabe que não vai entregar.

Humanidade antes de tudo

Relações fortes entre as pessoas só existem quando há uma relação de humanidade preestabelecida. Nesse contexto, não há espaço para discriminação, desrespeito, superioridade etc. E quando a humanidade de um está em risco, nada é mais importante que isso! Isso é prioridade!

Querer não faz a menor diferença

Muitas vezes o ser humano se depara com situações onde quer muito alguma coisa, e outras onde não tem nenhum interesse em levar as coisas adiante. Já passou por isso? Querer ou não querer algo não faz a menor diferença. Os resultados não são frutos desse sentimento. Os resultados são frutos da Ação. Então quando você age (ou não) você obtém os resultados decorrentes daquilo que fez e não daquilo que queria ou não queria.

Você não “tem que”!

Uma das grandes ciladas que estamos condicionados é acreditar que “temos que” fazer alguma coisa. Enquanto seres humanos somos livres para escolher a cada momento o que fazemos ou não e responsáveis pelos resultados dessas ações ou não ações. Quando você se põe num espaço de “tenho que”, você perde poder. Quando você se põe num estado de “escolho algo” não existe pressão, tortura, etc. É uma escolha poderosa. Experimente, vai se surpreender.