O ERP é um sistema automatizado de gestão cuja principal função é a integração de todos os setores dentro de uma empresa. Sabia que é possível, e muito vantajoso, fazer a integração com um sistema de frente de caixa.

O sistema automatizado de frente de caixa PDV já é muito comum em lojas varejistas. Ele é um sistema de finalização e pagamento de vendas e, geralmente, oferece integração direta com a emissão de documentos fiscais (como a NFC-e) e o controle de estoque.

Veja a seguir boas razões para realizar essa integração!

Agilidade no processo de vendas

O processo de finalização das vendas torna-se mais rápido, como geralmente acontece quando existe automação. Com os produtos pré-cadastrados no sistema, ele gera a pré-visualização do cupom fiscal. Apertando um botão, aparecem as formas de pagamento. E durante o processo, pode-se inserir ou não o CPF do comprador (ele deve decidir se deseja registrar seu CPF). Finalizada a venda, automaticamente são disparados comandos para a atualização dos estoques no retaguarda e o registro do crédito no caixa da loja.

Essa agilidade certamente ajuda na fidelização de clientes e também na captação de novos clientes, que se sentem atraídos por um modelo de finalização mais rápido e mais eficiente.

Automação do processo de vendas

O sistema de frente de caixa traz automatização do processo de venda, o que por si só,  já representa uma grande vantagem. Ele se integra com diferentes periféricos, criando uma rede integrada que, além de agilizar, confere mais segurança ao processo.

Alguns exemplos de periféricos que podem ser integrados ao PDV:

  • Balanças;
  • Leitores de cartões magnéticos (senhas ou fidelidade);
  • Leitores biométricos;
  • Impressoras (fiscais e não fiscais);
  • Teclados programáveis;
  • Pinpad (operações de TEF)
  • Equipamentos para emissão do Cupom Fiscal Eletrônico (SAT Fiscal, Módulo Fiscal Eletrônico – MFe);
  • Gavetas eletrônicas;
  • etc;

Tudo isso faz com que os processos funcionem de forma automatizada e integrada resultando em menos erros, pois conseguem alimentar dados de diferentes departamentos da loja.

Ampliação de mercado

No Brasil, existem atualmente quatro tecnologias usadas no varejo para a emissão de documentos fiscais: PAF-ECF; NFC-e; SAT Fiscal e MF-e. Algumas delas são obrigatórias em alguns estados.

O PAF-ECF é o Programa Aplicativo Fiscal para Emissor de Cupom Fiscal. O emissor de cupom fiscal armazena os totalizadores fiscais e a imagem dos cupons ficais que foram emitidos. Ele dispensa a conexão à internet, já que armazena na memória todos os dados.

A NFC-e é a Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica, que é semelhante à NF-e. É emitida pelo estabelecimento comercial nas vendas efetivadas ao consumidor final, sendo enviada para à Secretaria da Fazenda no momento da compra por meio da internet.

O SAT é o Sistema Autenticador e Transmissor, equipamento homologado que fornece à Secretaria da Fazenda as informações de venda do estabelecimento. Ele precisa se integrar a um sistema que gere o CF-e (Cupom Fiscal Eletrônico).

O MF-e é o Módulo Fiscal Eletrônico, cuja função é semelhante à do SAT, mas exibe algumas características próprias, como GPS que permite a localização do equipamento, bateria e GPRS para permitir conexão à internet via chip 3G ou 4G.

Portanto, para atender ao cliente em regiões diferentes do país, é necessário investimento de muito tempo e esforço para estudar e acompanhar as mudanças de legislação que afetam a emissão de documentos fiscais para o varejo.

Foco na aplicação e na gestão

Para uma empresa de varejo, é fundamental que o aplicativo de vendas atenda pelo menos dois requisitos:

  • Processo de vendas rápido;
  • Atendimento à legislação pertinente.

Assim, a integração do sistema ERP com um frente de caixa especializado, diminui as preocupações com aspectos burocráticos do processo de vendas e com as exigências fiscais que mudam a todo dia, e geram altos custos para adequação do sistema ERP. Dessa forma, o gestor de uma software house pode dedicar mais tempo ao planejamento estratégico, visando assim gerar valor efetivo para o cliente.

A integração com frente de caixa é uma estratégia que contribui para aprimorar a gestão, reduzir custos e beneficiar a empresa de diversas maneiras.

Gostou da ideia? Clique aqui para conhecer melhor o frente de caixa da ID Brasil e veja como reduzir custos e agilizar o atendimento das diferentes legislações existentes no Brasil.